6 de outubro de 2011

Resumos Críticos 1, 2 e 3 (BROMATOLOGIA)

________________

Hermann I A Salzer
________________ 

1. MENDES, Renata Aparecida et al. Contaminação ambiental por Bacillus cereus em unidade de alimentação e nutrição. Revista de Nutrição. Campinas, p. 255-261, abr./jun., 2004.

Mostra como pode ocorrer a contaminação dos alimentos através da utilização de bancadas de aço inox, sendo eles crus ou cozidos. Dessa maneira, os autores investigam, através de técnicas diversas, a presença deste microrganismo, revelando que, embora se encontre mais comumente no solo, pode ser apresentado em locais variados na forma de esporo (dependendo de como estes esporos resistem ao ambiente em que se instalam).
Todavia, os autores também demonstram que esta contaminação pode gerar duas espécies de síndromes, assim divididas em emética e diarreica, sendo a primeira pré-formada no alimento e a outra provavelmente no trato entérico.
Entretanto, os autores dão ênfase aos efeitos que estas síndromes podem trazer ao organismo, tendo, como exemplo, o surgimento de uma intoxicação e o risco de elevação do crescimento microbiano.
Sendo assim, o trabalho é finalizado, tendo, por conseguinte, a sugestão dos autores em adotar, além de novas legislações, medidas de controle eficazes para combater tais enfermidades.


2. MELO, Enayde de Almeida et al. Capacidade antioxidante de frutas. Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas, Pernambuco, v. 44, nº 2, abr./jun., 2008.

Trata-se de mostrar os efeitos benéficos de alimentos à base de frutas e os compostos existentes nestes alimentos que se apresentam em maior quantidade.
Nas primeiras partes do artigo, os autores demonstram a capacidade com que certos tipos de fruta têm para capturar radicais livres e eliminá-los do organismo e a função protetora de cada componente vegetal no corpo.
Demasiadamente, os autores demonstram também que, dependendo das circunstâncias encontradas, os vegetais podem apresentar uma quantidade reduzida destes componentes e a água pode extrair mais o teor deles, valendo-se da informação afirmando não haver redução do potencial antioxidante por causa de um ou mais componentes presentes nas frutas, sendo visto, com maior clareza dos detalhes, os valores percentuais sem, no entanto, esquecer de ver o consumo estimado de cada uma.


3. OLIVEIRA, Alane Cabral de et al. Fontes vegetais naturais de antioxidantes. Química Nova, v. 32, nº 3, 689-702, abr. 2009.

Trata de demonstrar como a constante presença de radicais livres pode prejudicar o funcionamento orgânico do indivíduo e certos fatores, como alimentação e ambiente, são essenciais para definir a saúde de uma pessoa. O texto se encontra dividido em duas partes: no primeiro momento, os autores enfatizam o motivo que leva à formação desses radicais livres, tendo, como ponto fundamental, um fenômeno denominado “estresse redox” e como este fenômeno ocasiona dano às células e aos tecidos. No segundo, mostram os tipos de alimentos mais comuns encontrados que apresentam certo potencial antioxidante.
O texto é concluído, explicando-se o diferencial entre o quantitativo de substâncias antioxidantes encontrado nos vegetais e nos produtos sintéticos.

Nenhum comentário: